segunda-feira, dezembro 12, 2011

André Petry e suas bobagens

Leitores da Veja, se querem acompanhar o que acontece na política americana fujam da própria revista. É impossível entender o que está acontecendo por lá tendo o André Petry como correspondente. Prefiram até a CNN, aquele orgão de propaganda do Partido Democrata, do que o nosso glorioso "enviado especial".

Na Veja dessa semana, ele assina três reportagens.

Na primeira, ele analisa a campanha republicana e, em especial, a disparada de Newt Gingrich nas pesquisas. Seus argumentos:
  1. "Só a desoladora falta de opções explica a montanha-russa em que se transformaram as primárias do Partido Republicano". Sim, a falta de opção pode causar esses movimentos, mas existem inúmeros outros que também poderiam explicá-lo. Nas eleições brasileiras de 2002 Roseana Sarney também disparou na corrida e foi abatida pela foto de uma montanha de dinheiro; depois foi Ciro Gomes com uma série de declarações pouco felizes. Lula acabou eleito. Ninguém jamais disse que aquelas alterações foram devidas a "uma desoladora falta de opções". Está acontecendo mais ou menos isso nos EUA: Rick Perry derrapou feio em vários debates e passou a imagem que seria facilmente batido por Obama; Cain se enrolou todo para tentar se explicar na questão de assédio sexual e foi ainda pior quando começou a falar de política externa. Pode ser falta de opções? Pode, mas não é a única explicação possível. Petry escolheu a mais conveniente e, logicamente, não apresentou justificativa.
  2. "empurrou o partido para o abismo quando insistiu no impeachment de Clinton". Petry esqueceu de dizer que os republicanos ficariam com o controle da casa até 2006, sendo que o impeachment foi em 1998. Pior, pesquisas mostraram que embora os americanos tenham se dividido sobre o impedimento, a imagem de Clinton foi arrasada, impedindo-o de trabalhar por Al Gore em 2000, o que pode ter levado Bush à presidência.
  3. "... por causa das travessuras sexuais". Mentira. Clinton recebeu o impedimento na Casa porque cometeu perjúrio ao mentir sob juramento, uma coisa que os americanos levam a sério. Também recebeu o impedimento por obstrução à justiça.
  4. "é por isso que os democratas de Obama estão torcendo para que Gingrich seja o adversário em 2012". Humm. Se os democratas, e Petry, estivessem achando realmente isso, não estariam dizendo em voz alta, não é?
Na segunda matéria, ele fala da condenação do ex-governador do Illinois a 14 anos de prisão. Sabe como saber o partido dele? Fácil. Petry não diz na matéria, então só pode ser democrata. Fui conferir, bingo! Afinal, se fosse republicano, estaria no lead. Jornalista de esquerda é tão previsível. Não é à toa que o mensalão tem nome de mensalão e existe uma coisa chamado mensalão do DEM. Alguém ouviu a expressão mensalão do PT na imprensa? Ou do Lula?

Na última, ele fala da perda do cargo do chefe da aviação civil americana por dirigir embriagado. Petry aproveita para fazer um paralelo com Aécio Neves. Quem me conhece sabe que não tenho simpatia nenhuma pelo mineiro, a quem atribuo parte da responsabilidade da permanência do PT no governo. Só que a lei brasileira é clara quando diz que ninguém é obrigado a produzir provas contra si mesmo. Não vejo nenhum problema em emendar a constituição e tirar mais esse instrumento para proteger criminosos, mas enquanto isso não é feito, Aécio não infringiu lei nenhuma e nem pode-se dizer que estava embriagado.

André Petry só desperta minha curiosidade por sua capacidade de ver tudo torto. Quanto estou na dúvida de algo, sempre procuro saber o que pensa. Dá um clareada e tanto nos meus pensamentos!

Um comentário:

Anônimo disse...

Teus argumentos te ridiculizam, amigão! Criticas a posição democrata que Petry toma e dizes que ele vê "tudo torto". Em momento algum consideras que as tuas próprias visões políticas afetam as tuas opiniões! O Petry pelo menos busca entender o partido oposto. Tu não fazes o mesmo.